Descubra quando e como colocar a placa Mercosul no seu carro

4 minutos para ler

É provável que você já tenha reparado na nova placa dos carros que andam circulando pelas ruas. O seu código é diferente e ela não especifica mais a cidade do veículo, apenas o seu país.

Trata-se da placa Mercosul. Se você é proprietário de um automóvel e deseja saber se a sua placa deve ser trocada ou mesmo o porquê dessa novidade, vale a pena ler este artigo!

O que é a placa Mercosul?

Primeiro, é importante informar o que essa sigla significa. Mercosul é o nome dado ao Mercado Comum do Sul — um bloco econômico constituído por alguns países localizados na América do Sul (como o Brasil, a Argentina e o Uruguai) cujo objetivo é facilitar transações e investimentos entre si.

Já a placa foi idealizada para criar um padrão de reconhecimento. Prevista para entrar em vigor em 2014, apenas no início de 2020 ela se tornou obrigatória em alguns casos.

Quem deve trocar a placa?

Felizmente, essa despesa não será obrigatória para todos. Pelo menos, por enquanto. Atualmente, apenas veículos novos devem exibi-la por ser o primeiro emplacamento. No caso dos que estão em circulação, a troca só será necessária se:

  • a placa for roubada;
  • a placa estiver danificada;
  • o veículo mudar de categoria;
  • o proprietário mudar de cidade/estado.

Quais são as diferenças da placa Mercosul?

O novo layout continua com sete dígitos, mas, dessa vez, são quatro letras e três números. No modelo atual, a sequência acontece de maneira intercalada (LLL-N-L-NN), o que dobrou o número de combinações possíveis. O tamanho segue o mesmo, mas, agora, não há mais especificação sobre o município de origem, apenas uma tarja com o nome e a bandeira do país.

Informações mais específicas podem ser verificadas por meio de um QR Code no canto esquerdo superior, que, inclusive, também vai funcionar como proteção contra clonagens. O código central em destaque pode ter diferentes cores, de acordo com o uso do veículo:

  • azul para carros oficiais;
  • dourado para carros diplomáticos;
  • prateado para modelos de coleção;
  • preto para carros particulares;
  • verde para carros de teste;
  • vermelho para táxis, veículos de autoescola e comerciais.

Quanto custa a nova placa?

A venda das novas placas está acontecendo sem o intermédio do DETRAN, como costumava ocorrer, mas é ele que deve informar ao proprietário do veículo onde a compra pode ser realizada. O valor é variável de estado para estado: em São Paulo, por exemplo, ela custa, em média, R$ 138,24. Já no Amapá, o novo emplacamento pode sair por até R$ 500.

Caso você não pretenda comprar um novo carro e não se encaixe nos requisitos de quem precisa trocá-la, é válido pensar se vale a pena ter mais essa despesa ou se é possível esperar até que se torne obrigatório para todos os automóveis.

Com a quarentena, a implementação — que começou em janeiro de 2020 — tem acontecido de forma mais lenta que o planejado, especialmente devido ao período em que os DETRANs ficaram fechados. É provável que, neste ano, as substituições aconteçam com mais frequência. Por fim, caso tenha ficado alguma dúvida sobre o assunto, não hesite em contatar o órgão responsável da sua região.

Você vai adquirir a sua placa Mercosul ou vai aguardar até que seja obrigatório fazê-lo? Enquanto isso, vale a pena saber mais sobre outras mudanças na lei de trânsito.

Você também pode gostar

Deixe um comentário