Confira 8 dicas para a manutenção preventiva dos veículos

6 minutos para ler

Ao planejar uma viagem de carro com a família, é comum realizar a manutenção preventiva do veículo: checar os freios, trocar o óleo, fazer uma revisão etc., não é? No entanto, essa prática não deveria ser usual apenas nesses casos, pelo contrário. Para que o veículo se conserve em bom funcionamento, o seu dono deve zelar pelo seu estado, realizando manutenções preventivas periódicas.

Essa dica é válida especialmente se você pretende trocar de carro em breve e deseja ofertar o que já possui como entrada ou vendê-lo para pagar o novo. É esse cuidado que faz o veículo ter prolongada a sua vida útil e se manter saudável para não deixar o seu proprietário na mão.

Confira, a seguir, algumas dicas do que consiste a manutenção preventiva!

1. Troque o óleo

Geralmente, a troca do óleo do motor deve acontecer de seis em seis meses ou a cada 10 mil quilômetros rodados – a informação varia de acordo com a montadora do automóvel ou pode ser checada no manual do proprietário. Quando isso não acontece na data prevista, o motor pode ser danificado, o que vai gerar prejuízos. Por isso, inclua a troca de óleo em um planejamento semestral. Marque no calendário ou no celular e não a deixe para depois.

2. Verifique os freios

O sistema de freios é uma das partes mais importantes do veículo. Zelar pelo seu bom funcionamento não é apenas convencional, é uma questão de segurança. Com a tecnologia, esses componentes se tornaram cada vez mais complexos e, eventualmente, passíveis de falhas.

Por essa razão, a sua manutenção periódica não pode deixar de acontecer. Se você for usuário de um seguro ou de uma proteção veicular, é possível que esse serviço faça parte da sua cobertura e não seja cobrado. Entre em contato com a empresa ou associação e verifique se faz parte do contrato.

3. Mude os filtros

A limpeza dos filtros de ar garante o seu bom funcionamento e mais: preserva a saúde do condutor do veículo. Umidade, poeira e ácaros – para citar alguns – adoram esses espaços e podem causar doenças. Se você usa muito o carro, assim como o seu ar-condicionado, os filtros podem precisar de uma revisão. Fazer essa revisão evita problemas, como maior consumo de combustível, falhas no motor etc.

4. Cuide dos pneus

Os pneus são como os nossos tênis: são eles que recebem os maiores impactos e, consequentemente, o maior desgaste. A sua manutenção periódica influencia a vida útil de outras peças do carro, como suspensão e tração, então, não dá para vacilar. A regra do cuidado com eles é a ABC: alinhamento, balanceamento e calibragem. Esse último deve acontecer uma ou duas vezes por mês. Os outros dois variam de acordo com a quilometragem.

No caso dos pneus, o motorista deve ficar atento aos sinais que o veículo dá — quando eles estão ficando “carecas”, por exemplo. Essa condição diminui a aderência ao solo, o que, por sua vez, prejudica a frenagem, e por aí vai. Em resumo, respeitando as datas de manutenção preventiva, é possível evitar uma série de problemas.

5. Substitua as velas de ignição

O bom funcionamento das velas de ignição impacta diretamente a operação do motor. Sem elas, ele nem liga, na verdade. Então, elas precisam estar limpas e sem rachaduras. O mesmo vale para os cabos, que complementam a ação das velas e podem prejudicar o desempenho do motor.

A troca deve acontecer quando o veículo tiver entre 10 e 15 mil quilômetros rodados ou quando sugerir o manual do proprietário. Fique atento!

6. Preserve a bateria

A bateria é considerada o coração do sistema elétrico do carro. Dependendo da marca, ela pode durar até cinco anos – mas depende dos cuidados que o condutor terá: isso inclui usar produtos de qualidade cuja instalação deve ser realizada por técnicos especializados e evitar o desperdício. A inatividade do veículo, ao invés de preservá-la, desgasta, não sendo recomendado que ele passe mais de dez dias sem ser utilizado.

Quer saber se está na hora de trocar? Alguns dos sinais são: na hora da partida, o carro tem dificuldade para engatar e funciona devagar ou o indicador da carga da bateria está apagado – nesse caso, ela pode estar descarregada ou a sua vida útil pode ter chegado ao fim.

7. Verifique o radiador

Esse componente é o responsável por garantir que o propulsor fique frio e evite o superaquecimento causado pelas velas e pelos cabos de ignição. A ausência de água para causar o resfriamento prejudica o seu funcionamento, por isso, é recomendado que toda semana o condutor faça a checagem.

Lembrando que o líquido a ser colocado não é composto apenas por água, mas por uma parcela de arrefecimento e aditivos. Também não se recomenda usar água da torneira ou fria para não ocorrer um choque térmico.

8. Invista em um bom combustível

Infelizmente, não é incomum que postos de combustível adulterem a sua gasolina, fazendo-a ter um menor rendimento, sem falar nos danos que podem ser causados aos veículos, especialmente ao motor. Por essa razão, antes de abastecer, tome alguns cuidados para evitar cair em ciladas.

Desconfie de um preço muito abaixo do normal

A variação do preço do combustível não costuma passar de R$ 0,20 entre um posto e outro. Então, se vir um anúncio que ultrapasse esse limite, desconfie e não abasteça. É possível que a gasolina tenha sido adulterada e essa seja a razão da “promoção”.

Exija o seu comprovante fiscal

Pagou? É seu direito exigir a nota fiscal pelo produto ou serviço pagos. Solicite ao frentista sempre que abastecer e, caso ele se negue a dar, evite voltar ao mesmo posto. Isso pode ser um sinal de irregularidade e é possível que a gasolina tenha procedência duvidosa.

Manter o seu veículo em bom estado de funcionamento vai gerar economia e menos dor de cabeça, além de facilitar a sua venda, posteriormente, caso tenha intenção de fazê-lo. Mas, sem dúvidas, o mais importante é garantir que você e sua família (ou quem estiver transportando) estão em segurança! Certifique-se de realizar as manutenções periódicas e aproveite o seu carro por mais tempo.

E aí, já fez a manutenção preventiva do seu veículo neste mês? Conte a sua experiência nos comentários. 

Você também pode gostar

Deixe um comentário